Sua empresa já abriu uma IPO? Veja o passo a passo e as vantagens

Quando abrimos uma empresa, é muito comum fazer projetos, planos de carreira, ter várias ideias, estabelecer metas… enfim, sonhar com o próprio negócio. Diante disso, conforme a empresa vai mudando e crescendo, todos esses planos também vão mudando e crescendo.

Uma das ações mais comuns de empresas que já estão bem consolidadas no mercado é abrir uma IPO. Você empresário, sabe o que isso significa? Você consumidor, sabe o que isso impacta na sua vida? Neste artigo vamos falar sobre os aspectos mais básicos de uma IPO e como ela pode te ajudar.

Imagem: Rawpixel/ Reprodução

Mas afinal, o que de fato é uma IPO?

Bom, talvez esse termo possa ter aparecido recentemente para você, mas já é bem usado no ramo empresarial e de investimento. Porém, de forma simples significa Initial Public Offering que traduzindo quer dizer Oferta Pública Inicial.

Isso acontece quando uma empresa decide abrir seu capital para o público na Bolsa de Valores e assim é possível que qualquer pessoa possa comprar suas ações, ou seja, quem compra essas ações e investe se torna “sócio” da empresa e participa dos lucros e prejuízos capitais da empresa.

Por fim, não são todas as empresas que podem abrir uma IPO, requer alguns requisitos (falaremos mais sobre isso), normalmente podem ser companhias que já possuem uma maturidade maior no mercado e tem possibilidade de arriscar mais nos seus negócios.

CONFIRA MAIS: 4 investidores de sucesso e o que podemos aprender com eles

O porquê de abrir uma IPO

Antes de tudo, essa atitude gera uma mudança muito grande, importante e que deve ser feita com muito cuidado na empresa, mas não entraremos nas questões mais detalhistas sobre esse processo, entretanto, basta clicar aqui para conferir um artigo mais detalhado sobre o assunto.

É de se imaginar que uma das principais vantagens de uma IPO é levantar mais recursos financeiros, afinal, os acionistas (quem investe na empresa) geram lucro para que a empresa possa prosperar e expandir.

E claro, não poderíamos não mencionar que ao fazer isso, sua empresa obtém um grande status no mercado e assim, mais acionistas.

Mas claro, apesar de bastante vantajoso, há questões a serem levadas em consideração. Antes de tudo, abrir uma IPO é um processo arriscado, burocrático e até caro.

Além disso, é muito importante que a empresa seja sempre muito transparente em seus trâmites internos. Por fim, requer uma excelente organização e controle interno rigoroso.

Como abrir uma IPO

Depois de ter entendido que sua empresa tem a possibilidade de entrar nesse processo, vamos agora pôr a mão na massa de fato. Entretanto, vale ressaltar que esse não é um processo tão fácil e rápido, mas tudo precisa ter um começo.

Primeiro, é importante que a empresa faça a apresentação de um Relatório Patrimonial completo e com detalhes. Depois disso, traçará todas as particularidades de como funcionará a IPO: quantidade de recurso a ser obtido, estratégias de organização, modelos das ações e outras questões.

Depois disso, você apresentará todas essas informações para o mercado. Caso aprovado, passará para a solicitação de registro para a Comissão de Valores Imobiliários (CVM), assim será possível elaborar o “Prospecto” que apresenta a empresa e a oferta.

Quase por fim, há um período de reserva onde os investidores interessados reservam aquelas ações, então quando estiverem disponíveis, eles a obterão. Com isso, a empresa realiza o bookbuilding, onde consegue ter uma noção de quantas pessoas compraram as ações.

E finalmente, chega o dia em que as ações da sua empresa estreiam na Bolsa de Valores (conhecida como Dia D).Esse processo não é fácil, mas há instituições que ajudam nessa missão, como a PWC e outras.