Finanças empresariais x pessoais: veja porquê separar as duas

0
64

Esse é um dos principais erros cometidos por quem está começando no empreendimento – até por muitos que já estão há algum tempo trabalhando nisso. Mas isso leva a muitos erros que podem fazer com que os lucros possam ser diretamente afetados.

Por isso, é muito importante saber separar as finanças empresariais e pessoais muito bem. Por isso, para te ajudar, mostraremos as razões do porquê você deveria dividir cada uma e como fazer isso de modo mais prático para o seu contexto.

financas-empresariais-e-pessoais
Imagem: Ijeab – Freepik/ Reprodução

Identidade

Um dos principais aspectos que pode ajudar a entender isso de forma mais eficiente é ter bem claro que você é uma pessoa e a empresa é outra. Calma, por mais que possa parecer muito óbvio e um tanto quanto confuso ao mesmo tempo, é possível de compreender.

Cada pessoa é considerada uma pessoa física (é usado o CPF para identificar cada uma), já no momento que abrimos uma empresa, ela é considerada uma pessoa jurídica (um CNPJ é atrelado a ela). No fim das contas, por mais que a empresa possa ser sua, ela tem direitos e deveres assim como uma pessoa.

Por isso, jamais as contas jurídicas e físicas podem se misturar – principalmente quando a empresa tem mais de um dono. Isso dará autonomia para a companhia e o controle de cada gasto e entrada ficará melhor entendido.

financas-empresariais-e-pessoais
Imagem: Osaba – Freepik/ Reprodução

CONFIRA TAMBÉM: Educação Financeira: 5 cursos gratuitos e online sobre finanças

Andar no escuro

Quando uma boa divisão não acontece entre os dois tipos de finanças, a sensação é de realmente estar no escuro sem nenhuma iluminação para clarear o caminho. Nesse sentido, a empresa não consegue saber quanto de lucro está gerando e quanto de gasto está tendo.

Por não ter nada muito delimitado e estabelecido, fica quase impossível estabelecer metas e planos futuros. Além disso, não é possível obter informações concretas para traçar estratégias e tomar decisões assertivas e ágeis.

No fim das contas, isso prejudica não só o próprio dono do negócio, como também pessoas que dependem daquela empresa – como os colaboradores. Isso também acarreta outros problemas como não conseguir pagar impostos básicos e até problemas graves como levar a empresa à falência.

Soluções

Bom, há diversos outros agravantes caso essas duas finanças se juntem, mas creio que já foi suficiente para demonstrar a importância da divisão das duas. Porém, o mais importante agora é trazer resoluções para que isso não aconteça ou seja corrigido.

Bancos

É muito importante que você tenha uma conta no banco exclusiva para a sua empresa. Isso concentra os gastos e entradas em um só lugar, fazer planejamentos baseado no que possui em caixa, extratos com apenas valores da empresa e outros benefícios.

Dependendo da condição e situação da sua companhia, comece com uma conta em fintech/bancos digitais em que a maioria faz grande parte do serviço de forma gratuita – além de fornecerem um cartão de crédito da sua empresa.

Equipe

Tenha pessoas responsáveis para cuidar especificamente dessa parte e você verá a diferença positiva que será. Por mais que esse erro seja mais comum em empresas menores, em outros contextos pode haver outros problemas, como uma má gestão da equipe do financeiro ou profissionais não tão capacitados.

Salário

Um dos passos que podem ser muito importante nesse processo é quando o dono da empresa e os sócios passam a ter um salário fixo. Além de dar mais estabilidade para a empresa e também para os proprietários, isso poderá até gerar mais lucro.

Conclusão

Há muitas outras questões que podem contribuir para isso, mas ao implementar esses passos na sua empresa e na sua vida, pouco a pouco a diferença será notada.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here