Minha Casa Minha Vida: Simule a taxa de financiamento

Hoje em dia não é mais tão fácil adquirir o próprio imóvel; tudo está com preço mais caro, principalmente os imóveis. Isso independente de ser um apartamento ou casa, claro, isso se deve ao fato de muitas pessoas estarem procurando e pela inflação na economia.

Entretanto, hoje em dia as possibilidades são maiores e até o Governo Federal possui recursos e projetos para facilitar esse processo. Por isso, você pode financiar seu imóvel por um preço muito mais acessível no Minha Casa Minha Vida. Porém, você sabe como funciona? Quem tem direito para pedir? Confira mais abaixo!

Como funcionam os benefícios do Governo?

Além do MCMV, o Governo Federal possui diversos outros benefícios que podem ser úteis para você, inclusive, há alguns que talvez você não saiba que exista. De forma geral, são repasses financeiros que o Estado faz para o cidadão que possui renda mais baixa.

Então, esse recurso financeiro é normalmente transferido por meio de algum benefício, como o Bolsa Família, Auxílio Emergencial, Benefício de Prestação Continuada e diversos outros. Então, basta que a pessoa cadastre-se no benefício que precisar e vai receber periódicamente.

Aliás, a maioria desses projetos de auxílio são feitos por meio do Cadastro Único (CadÚnico). Então, resumindo, faça seu cadastro no CadÚnico e caso você esteja de acordo com os pré-requisitos, use esse cadastro para fazer sua inscrição nos benefícios de seu interesse e necessidade.

LEIA TAMBÉM: FGTS com praticidade – Veja como consultar o benefício

Afinal, o que é o MCMV?

De forma direta e simples, o Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) foi criado para oferecer possibilidades de financiamento mais em conta para o cidadão com uma renda menor. De forma geral, o Governo fecha parcerias com as empresas e consegue oferecer o imóvel por um preço mais atrativo.

Além disso, o programa é dividido em duas categorias principais: Habitação Urbana e Habitação Rural. Como o próprio nome já diz, a categoria urbana é voltada para os cidadãos que preferem imóveis em áreas urbanas, já a categoria rural é destinada para imóveis em áreas rurais, como chácaras, sítios e etc.

Quem pode solicitar o programa?

Antes de tudo, vale dizer que este benefício – assim como muitos outros programas governamentais – é organizado pela Caixa Econômica. Então, todo o processo de contratação é feito por meio deste banco.

Na verdade, há condições diferentes de acordo com a renda do solicitante. Então, para as famílias com renda até R$1.800 as regras são umas e para as famílias com renda de R$1.800 até R$7.000 as regras são outras.

Como é de se esperar, com a primeira categoria de famílias as vantagens são maiores, já que sua renda é menor. Nesse caso, o financiamento pode ser feito em até 120 vezes, com mensalidades que variam de R$80 a R$270 e o imóvel financiado fica como garantia.

Já para as famílias com renda até R$7.000, as quantidades de parcelas podem variar, mas a taxa de juros é menor que grande parte das instituições imobiliárias.

Como solicitar seu imóvel

Para as famílias com renda mensal até R$1.800, é necessário ir até a prefeitura da cidade ou então uma a organização responsável pelo programa da cidade. Já para as famílias com renda até R$7.000, é possível solicitar por uma entidade organizadora e contratar individualmente.

Depois disso, no caso da prefeitura, você é informado sobre a data do sorteio e para fechar o contrato. No caso da solicitação feita nas agências ou correspondentes da Caixa, depois de analisado o seu caso e suas documentações, você escolhe as opções de financiamento apresentadas.

Além disso tudo, no próprio site da Caixa você consegue fazer a simulação com o valor do imóvel e a quantidade das parcelas.

Caso você seja aprovado, basta assinar o contrato e já fazer a mudança para o lar novo